Fundação de Economia e Estatística (FEE)




A Fundação de Economia e Estatística Siegfried Emanuel Heuser (FEE) é uma instituição de pesquisa, vinculada à Secretaria do Planejamento, Governança e Gestão do Governo do Estado do Rio Grande do Sul.











O InppVis foi desenvolvido com o uso da ferramenta gratuíta Shiny.

Shiny é um produto do RStudio.




O InppVis

O aplicativo InppVis apresenta de forma interativa e dinâmica os indicadores do potencial poluidor das atividades industriais de transformação e extrativas no Rio Grande do Sul.

Características do Aplicativo

O aplicativo possibilita a visualização e análise dos indicadores ambientais do estado, com comparações entre unidades geográficas, em tabelas, gráficos e mapas de forma interativa e, também permite a realização de pesquisas rápidas na base de dados e download.

O InnpVis mostra os resultados para o estado como um todo, assim como para os municípios gaúchos, microrregiões, mesorregiões, aglomerações urbanas, regiões metropolitanas e regiões respectivas dos Conselhos Regionais de Desenvolvimento (Coredes). No Quadro Resumo, além dos indicadores ambientais, são apresentados alguns indicadores econômicos relativos às atividades industriais para os respectivos recortes regionais. Também são destacados os dez municípios “críticos” no estado, em termos do volume da produção industrial e do risco ambiental.



CONTATO:

Imprensa FEE - imprensa@fee.tche.br

Cristina M. dos Reis Martins Pesquisadora em Economia FEE cristina@fee.tche.br cristina.mreismartins@gmail.com

Os indicadores do potencial poluidor da indústria de transformação e extrativa, para os anos de 2002 a 2015, no Estado do Rio Grande do Sul, consistem em:

a) Índice de Potencial Poluidor da Industria (Inpp-I);

b) Índice de Dependência do Potencial Poluidor da Indústria (Indapp-I) e;

c) percentuais da produção industrial classificada por nível de potencial poluidor (alto, médio ou baixo), com base no Valor da Produção (VP).

Ressalva-se que foram feitas alterações na metodologia anteriormente utilizada, em função de mudanças na metodologia do Produto Interno Bruto (PIB) municipal, que inviabilizaram o uso do Valor Agregado Bruto (VAB) para o cálculo.

A série 2002-2009 foi descontinuada e totalmente recalculada, não sendo possível comparações dos resultados da série anterior com a nova série.

Indicadores do Potencial Poluidor das atividades industriais de transformação e extrativas no Rio Grande do Sul

Os índices de potencial poluidor possuem como objetivo contribuir para a avaliação de possíveis externalidades negativas sobre o meio ambiente, geradas pelas atividades econômicas das indústrias de transformação e extrativa, que podem ser consideradas sujeitas ao risco ambiental. Assim, se oferecem como subsídios para implementação de políticas públicas, em especial, para a orientação de ações preventivas que equalizem o risco decorrente das atividades com alto potencial poluidor.

O risco ambiental consiste na probabilidade de ocorrência de desastres decorrentes da interação de processos ambientais, econômicos e sociais, que afetem os ecossistemas, comprometendo a integridade física e os vínculos sociais da população.

Para medir o potencial poluidor das atividades industriais no Rio Grande do Sul foi necessário obter um índice capaz de sintetizar, ao longo do tempo, tanto a intensidade das atividades econômicas industriais desenvolvidas, quanto o volume produtivo dessas atividades, que impactam no potencial poluidor do estado como um todo.

O potencial poluidor das atividades econômicas tem como base uma classificação que define a potencialidade poluidora de acordo com parâmetros de poluição hídrica, atmosférica e de resíduos sólidos.

O Índice de Dependência do Potencial Poluidor da Indústria (Indapp-I) mede a concentração das indústrias potencialmente poluidoras nas unidades geográficas, apontando a dependência dessas em relação as indústrias com alto potencial poluidor.

O Índice de Potencial Poluidor da Indústria (Inpp-I) sintetiza a concentração das atividades industriais em relação ao seu potencial de poluição e o volume de produção por unidade geográfica, apontando a evolução do volume de produção potencialmente poluidora no território, em que se destacam aquelas áreas que podem ser consideradas críticas, dada a concentração de um maior volume de produção em atividades industriais com alto potencial poluidor.

Os procedimentos metodológicos para cálculo dos índices de potencial poluidor foram realizados em três etapas: i) a classificação das atividades industriais de transformação e extrativa pelo seu potencial poluidor; ii) a análise dos números municipais de Saídas Contábeis Totais, que trazem a informação da produção dos setores de interesse; e, iii) o cálculo de um índice agregativo.

Indicadores Ambientais

Fonte: NPP-CEES/FEE
Fonte: NPP-CEES/FEE
Fonte: NPP-CEES/FEE
Fonte: NPP-CEES/FEE

Indicadores Socioeconômicos

Fonte: IBGE/FEE
Fonte: RAIS-MTE
Fonte: RAIS-MTE
Fonte: RAIS-MTE

Evolução do Inpp-I no Rio Grande do Sul

Fonte: NPP-CEES/FEE
Fonte: NPP-CEES/FEE

Evolução do Indapp-I no Rio Grande do Sul

Fonte: NPP-CEES/FEE
Fonte: NPP-CEES/FEE
Fonte: NPP-CEES/FEE

Evolução do Inpp-I nos Municípios Críticos


Fonte: NPP-CEES/FEE






























Escolha o Estado, Município ou Região
Selecione o ano de referência
Selecione a faixa de valor do índice
Fonte: NPP-CEES/FEE
Escolha o Estado, Município ou Região

Selecione a faixa de valor do índice


Fonte: NPP-CEES/FEE
Escolha o Estado, Município ou Região
Selecione o ano de referência
Fonte: NPP-CEES/FEE

Base de dados


Pesquise as informações de seu interesse na tabela ao lado.


Se você deseja fazer o DOWNLOAD da base completa, escolha um ícone abaixo.



Baixar.xlsx

Baixar.csv